Nova “queridinha” da Fifa, China deverá sediar Mundial de Clubes

Ninguém segura os chineses no futebol. Ao menos fora de campo. Após uma Copa do Mundo considerada um “divisor de águas” para o país, na qual se tornou a nova “queridinha” comercial da Fifa, a China pode sediar o Mundial de Clubes organizado pela entidade em 2019 e 2020.

De acordo com a agência oficial de notícias do governo chinês Xinhua, em uma reunião realizada em Moscou durante a Copa do Mundo, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, disse a Jack Ma, fundador e presidente do grupo Alibaba, gigante do e-commerce chinês e mundial, que há uma “grande chance” de a China se tornar sede do torneio nos próximos dois anos, informa o MSN.

Também presente na reunião, o executivo-chefe da divisão esportiva do Alibaba, Zhang Dazhong, afirmou que “foi um diálogo muito empolgante entre os empresários chineses e o presidente da entidade que controla o futebol mundial”.

Se a informação se confirmar, será mais um passo na aproximação cada vez maior entre o país asiático e a entidade responsável pelas principais competições de futebol do mundo. Os laços tornaram-se bastante estreitos durante todo o período pré-Copa do Mundo e ainda mais no decorrer do torneio que se encerrou no último domingo (15).

Vale lembrar que a relação do próprio grupo Alibaba com a Fifa já vem de alguns anos. Em 2015, o braço automotivo do grupo, o Alibaba E-Auto, assinou um contrato de parceria de dois anos pelos naming rights do Mundial de Clubes. Já em 2017, foi a vez do Alibaba Cloud, braço do grupo para o setor de computação em nuvem, fechar por cinco anos com a entidade também pelos naming rights do torneio.

Enquanto a China tenta se colocar com força ainda maior no torneio da Fifa, o próprio Mundial de Clubes ainda tem futuro incerto. Gianni Infantino quer expandir a competição para 24 clubes e disputá-la apenas de quatro em quatro anos a partir de junho de 2021. Além disso, haveria uma “Liga Mundial das Nações”, que terminaria em um torneio de oito clubes a ser realizado de dois em dois anos.

Especula-se que as novas ideias estejam encontrando forte oposição, em especial da Uefa, que teme que o possível novo Mundial de Clubes tenha impacto negativo sobre a cada vez mais lucrativa Liga dos Campeões. Por esse motivo, nada foi concluído antes da disputa da Copa da Rússia, o que era o desejo de Infantino.

Em 2018, assim como em 2017, a realização do Mundial de Clubes está confirmada para os Emirados Árabes Unidos.

17/07/2018