Namorada de médico conhecido como ‘Doutor Bumbum’ é presa

A namorada do médico Denis Cesar Barros Furtado, de 45 anos, conhecido nas redes sociais como “Doutor Bumbum”, está presa na 16ª DP (Barra da Tijuca). Renata Fernandes, de 20 anos, foi detida no domingo. Ela fez um curso de técnica de enfermagem em São Paulo, que não concluiu, e é suspeita de ter ajudado no procedimento que resultou na morte da bancária Lilian Calixto, de 46 anos. Renata teve a prisão temporária por 30 dias decretada pela Justiça.

— Estou surpresa como todo mundo. Ele sempre dizia que não era uma prática cirúrgica, que era algo simples, apenas laboratorial — disse ela, na delegacia.

Renata contou que Denis cobrava R$ 20 mil por procedimento. Ela também alegou que trabalhava apenas como secretária, marcando consultas:

— A função que eu exercia no escritório do Denis era secretariado. Eu não ajudava ele em nenhum procedimento.

A jovem disse que depois souberam da morte de Lilian, os parentes da bancária foram avisados — a delegada negou que isso tenha acontecido. Ela afirmou que Denis costumava fazer procecimentos na cobertura dele, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

Médico é considerado foragido

A polícia continua à procura do médico. Ele teve a prisão decretada pela Justiça e é considerado foragido.

A delegada Adriana Belém, titular da 16ª DP, contou que Renata ajudou Denis a levar Lilian da cobertura dele para o hospital.

— Quando ele soube que ela havia ido a óbito, sumiu — disse a policial.

Renata, Denis, a mãe do médico, Maria de Fátima Barros, de 66 anos — também médica, mas teve o CRM cassado —, e a técnica de enfermagem Rosilane Pereira da Silva, de 24, que a polícia afirma ter participado do procedimento de Lilian, foram indiciados por homicíido qualificado e associação criminosa. Além de auxiliar Denis, Rosilane também trabalhava como empregada doméstica para ele, de acordo com a polícia.

Adriana Belém pediu que quem fez qualquer peocedimento com esse médico compareça à 16ª DP.

— A minha intenção é que as fotos sejam bastante divulgadas para que as pessoas façam denúncias e ajudem a polícia a encontrar os dois — disse a delegada, que não acredita na hipótese de Denis ter saído do país

17/07/2018