Família Bolsonaro ataca escola de samba campeã Mangueira

A família Bolsonaro tirou o dia para atacar a cultura popular: primeiro o pai, o presidente Jair Bolsonaro, atacou o Carnaval com um vídeo repleto de obscenidades; seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ), atacou Estação Primeira de Mangueira, escola campeã do Carnaval no Rio de Janeiro este ano e uma das mais tradicionais escolas do país.

“Dizem que a Mangueira, escola de samba campeã do carnaval e que homenageou Marielle, tem o presidente preso, envolvimento com tráfico, bicheiros e milícias. Esse país está de cabeça pra baixo mesmo”, disse o vereador em seu Twitter.

Agora, sobre as investigações que apuram o envolvimento do seu irmão, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) com a milícia no Rio, Carlos não fala nada. Flavio e seu assessor Fabrício Queiroz são investigados por movimentações financeiras com milicianos. Além disso, o gabinete do irmão de Carlos tinha como funcionária a esposa e mãe de um miliciano procurado pela polícia, atesta o MSN.

A Mangueira homenageou Marielle Franco, vereadora do PSOL assassinada em 14 de março de 2018. De acordo com a investigação, milicianos são os principais suspeitos.

07/03/2019